quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

SERRA INIMIGO DA JUVENTUDE! OCUPAR AS RUAS CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA ENERGIA!


O governador do estado de São Paulo, o tucano José Serra, ameaça mais uma vez o patrimônio do povo paulista.
O alvo agora é a Cia. Energética de São Paulo ( CESP ), empresa pública pioneira no estudo de fontes alternativas de energia, como o hidrogênio e o metanol.
A tecnologia desenvolvida pela companhia nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica é reconhecida mundialmente.
Além de tudo isso a CESP, desde a sua criação, foi a maior empresa de geração de energia elétrica brasileira.
Mas, o governador segue a risca a famigerada cartilha privatista, rejeitada pelo povo nas urnas e nas ruas, segue seu projeto de enlamear o que é nosso para vender a preço de banana a seus amiguinhos milionários.
Entrem no site da CESP e vejam a cara de pau do Governo de São Paulo; os vendilhões “explicam” o absurdo da privatização.
Dizem os canalhas sobre o processo de venda (entrega) gradual da nossa energia :
“O governo do Estado de São Paulo promoveu, a partir de 1996, o processo de privatização do setor de energia do Estado com a regulamentação por lei estadual número 9.361/96 e coordenado pelo Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização (PED).

Em 5 de novembro de 1997, foram vendidas 60,7 % do total de ações ordinárias da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), controlada pela CESP desde 1975.Em 1º de junho de 1998 foi criada a Elektro - Eletricidade e Serviços, subsidiária da CESP.

A Elektro reunia os serviços de distribuição de energia elétrica, com um milhão de clientes distribuídos por 228 municípios nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

A privatização da Elektro ocorreu em 16 de julho de 1998, com a venda de 90% das ações ordinárias em leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).
Em abril de 1999, a CESP passou por uma cisão parcial.
Foram criadas três empresas de geração e uma de transmissão de energia elétrica. A empresa de transmissão, chamada de Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista, permanecerá sob controle do governo.

Das empresas de geração, duas já foram privatizadas: a Companhia de Geração de Energia Elétrica Paranapanema, cujo leilão na Bovespa ocorreu em 28 de julho de 1999, e a Companhia de Geração de Energia Elétrica Tietê, privatizada em 27 de outubro de 1999.”
Com essa desfaçatez tentam passar a imagem de grande negócio, grande “capacidade administrava” , um engodo que deixa claro a incapacidade dos tucanos e DEMonios de serem ao menos “gerentes” do Estado.
Possíveis empecilhos

A decisão de venda da Cesp é considerada eminentemente política, na visão de analistas, uma vez que a companhia já foi saneada.

Muitos avaliam que, dado às aspirações políticas do governador Serra, que poderia voltar a concorrer à presidência em 2010, essa não seria uma decisão fácil.

Uma das causas apontadas para que Geraldo Alckmin perdesse a corrida presidencial em 2006 foi a imagem de era a favor de privatizações. Para pessoas que acompanham a discussão da venda da Cesp, no entanto, Serra estaria com uma visão mais pragmática. ''Ele sabe que precisa fazer caixa para realizar seu plano de governo'', diz uma dessas pessoas.
A pesada dívida da Cesp remanescente sempre foi um obstáculo à privatização. Agora, ele foi removido.

Em junho de 2006, a estatal devia R$ 10,6 bilhões. Já em 30 de setembro do ano passado, o endividamento líquido diminuiu para R$ 7,4 bilhões. Com a reestruturação dos débitos, o desembolso para 2007 caiu de R$ 2,6 bilhões para R$ 1,5 bilhão. E o de 2009 foi de R$ 1,2 bilhão para R$ 750 milhões.

Serra não será Presidente da Republica e não daremos trégua enquanto os tucanos estiverem pousados no Palácio dos Bandeirantes!

Fonte: site da CESP e Portal Vermelho

Um comentário:

ujspernambuco disse...

Camaradas parabéns pelo blog estarei adicionando no perfil do blog de pernambuco da UJS e do Mov. Comunitário. Vamos fazer desse espaço mais um meio de divulgação das nossas ideias.

www.ujspernambuco.blogspot.com
www.unacomo.blogspot.com

David Robson
Sec. de Comunicação UJS/PE