segunda-feira, 27 de abril de 2009

UJS Rio Preto Realiza ato contra o reajuste do valor do transporte coletivo.

População apóia campanha da juventude

Mais de 1200 pessoas, entre jovens e trabalhadores aderiram neste domingo à campanha contra o aumento de quase vinte por cento na tarifa de transporte em São José do Rio Preto.

Lançada há três semanas na cidade pela UJS, logo após o anúncio do aumento de R$2,10 para R$2,50, a campanha é uma resposta a proposta que foi apresentada pela Circular Santa Luzia, que há mais de cinqüenta anos exerce monopólio no transporte da cidade.

O abaixo assinado deste domingo contou com a participação de diferentes matizes juvenis. Grande parte desses jovens faz parte do coletivo de universitários de várias instituições da cidade e da região. Eles integram o movimento “Da Unidade vai Nascer a Novidade”, que essa semana realiza em quatro universidades da região, eleição para escolha dos representantes aos congressos da UEE e da UNE. Uma equipe de produtores de cinema que está realizando um trabalho de memória do movimento estudantil na cidade também compareceu pra registrar toda a ação.

Já era noite quando uma grande concentração se formou. Eram estudantes secundaristas, integrantes do movimento hip-hop e muitos corinthianos que comemoravam nas ruas de São José do Rio Preto, a vitória na final do Paulistão.

José Paulo Dias, presidente da UJS afirma que a juventude tem uma pauta sobre transporte que vai além do aumento do valor das passagens. “Para discutirmos a situação do transporte, a cidade precisa instituir um conselho municipal de transportes, que integre poder público, sociedade civil e a empresa”. Segundo José Paulo, um tema como o fim do monopólio na cidade, proposto para 2011 não se concretiza sem a participação da sociedade nessa discussão, “a juventude quer fazer parte dessa conversa”, conclui.

Universitários debatem o tema

Segundo, Juliana Castejon, que é coordenadora do DCE da Unirp, nesse momento, o DCE precisa se comprometer com os temas relevantes da cidade. Para ela, os estudantes se interessam pelo assunto, uma vez que a maioria dos universitários depende do transporte público, tanto para chegar a universidade, quanto para ter acesso a outros espaços de produção do conhecimento. “Quando falamos de transporte público, falamos do acesso que é necessário promover ao estudante a locais que propiciem a produção de sua pesquisa, além de sua vivência social e cultural”.

O Diretor de comunicação da UJS e estudante de história Marcus de Marchi afirma que o aumento da tarifa não corresponde com os índices inflacionários e que não há aspectos na economia que justifique tal abuso. Para ele a empresa Santa Luzia não dá mais conta de operar o sistema sozinha, o que torna a discussão do fim do monopólio cada vez mais urgente. “Nem em São Paulo, que é a maior cidade do país o valor da passagem chega a R$2,50” e conclui, “queremos integrar o conselho municipal de transporte e juntamente com outros setores, constituir uma política municipal que não se submeta apenas aos interesses da Circular Santa Luzia”.

Integrantes do Diretório Acadêmico da Faculdade de Medicina de Rio Preto iniciarão a partir de amanhã a coleta de assinaturas contra o aumento da tarifa.

2 comentários:

Loli UJS Araçatuba disse...

Pô camaradas rio-pretenses que orgulho desta atividade!
bom seria se nem fosse necessária esta mobilização né, mas a realidade não é tão doce assim . . .
Espero que consigam sucesso nessa luta!
Beijos

UJS RIO PRETO disse...

e a luta continua e como diria gonzaguinha "eu vou a luta com essa juventude, que não foje da raia a troco de nada"